Blog

Microbiota e Saúde Mental

Quando pensamos em saúde mental o que vem à mente é o cérebro entretanto, microbiota e saúde mental estão diretamente relacionadas.

Intestino – O Segundo Cérebro

Quando pensamos em saúde mental o que vem à mente é o cérebro. Manter o cérebro ativo, garantir os nutrientes necessários para seu bom funcionamento, dormir bem para que ele se desintoxique. Tudo isso é fundamental mas, uma vasta linha de pesquisa vêm demonstrando que a saúde do intestino exerce um papel crucial na saúde mental. A microbiota ou flora, presente no trato gastrointestinal, contribui para o funcionamento ótimo do cérebro e portanto pra saúde mental.

Eixo Intestino-Cérebro

Os primeiros estudos que correlacionaram a saúde mental e intestinal viraram o mundo da psiquiatria de cabeça pra baixo, conforme relata Dr. Drew Ramsey em seu livro Eat to beat Depression and Anxiety. Podemos dizer que intuitivamente sempre soubemos dessa relação, tanto que temos até vocabulário específico sobre o tema: Enfezada (mau humorada), Deu até dor de barriga (stress), Passei um cagaço (medo grande), Cagão (medroso), e por aí vai. É bastante comum casos de pessoas que ao primeiro sinal de stress correm pro banheiro. Isso porque existe uma via de mão dupla onde ocorre a comunicação entre o intestino e o cérebro. Essa avenida, chamada de eixo intestino-cérebro, é fator determinante de sobrevivência e, claro, afeta a saúde mental.

Comunicação de Mão Dupla

Além de dar abrigo a trilhões de microorganismos, nosso trato gastrointestinal abriga também centenas de milhões de neurônios. O intestino é o órgão onde está concentrado o maior número de neurônios fora do cérebro. De intestino os neurônios podem mandar mensagens ao cérebro em questão de milisegundos. Essa comunicação é super importante. É através dela que sabemos quando estamos satisfeitos e é hora de parar de comer. Ou quando estamos prestes a comer algo estragado sentimos o estômago embrulhar, numa sensação de náusea, que nos impede de comer. E quando de fato comemos algo estragado o sistema digestivo trata logo de botar pra fora em forma de vômito ou diarréia. Tudo isso graças a esse sistema de comunicação bidirecional.

Microbiota ou Microflora

O intestino é o maior órgão do sistema endôcrino dos mamíferos. É um órgão super interessante e multifuncional. Além do seu papel na digestão, secreta hormônios e também exerce papel fundamental no sistema imunológico. De fato, em torno de 70% da nossa imunidade está no intestino. Ele faz papel de mediador em quando, onde e como as moléculas pró-inflamatórias são distribuídas no corpo. Mas o intestino não trabalha sozinho, ele conta com a ajuda da microbiota que é formada por trilhões de microorganismos. São bactérias, fungos, vírus e outros parasitas que vivem no nossa trato intestinal cohabitando conosco. Temos mais microorganismos na nossa flora do que células no nosso corpo! Seria até mais correto dizer que nós co-habitamos com eles já que eles são em maior número.

Relação Simbiótica

Esse entendimento da relação entre intestino e saúde mental marca o início de uma nova área de pesquisas já que traz a evidência de que a alimentação ajuda, com certeza, no tratamento desses distúrbios. Afinal, nada afeta mais a microbiota do que o que comemos. Embora pareça simples, a flora intestinal é incrivelmente complexa. Ela é um sofisticado ecosistema de trilhões de diferentes micróbios. Historicamente pensamos em micróbios como patogênicos, ou causadores de doenças mas, na verdade menos de 1% de todos os tipos de bactérias são patogênicas. Mesmo as que são conhecidas patogênicas, como cândida ou E. coli, só causam sintomas quando sua população cresce além da conta. Se em equilíbrio essa relação simbiótica funciona bem. Precisamos da microflora tanto quanto ela precisa de nós. Se estamos saudáveis ela também está.

Microbiota e Saúde Mental

Diversidade é importante em todos os aspectos. Para estarmos saudáveis precisamos de uma microflora a mais diversa possível, devido às diferentes capacidades de cada espécie. Certos tipos de microorganismos ajudam a digestão de nutrientes, outros produzem enzimas que atuam na digestão e outros ainda sintetizam nutrientes, como vitaminas do complexo B. Outros tantos protegem a parede intestinal, que curiosamente é formada de apenas uma camada de células. Para a saúde mental entretanto, um grupo de microorganismos é particularmente especial, os que ativam os neurônios que liberam seratonina. Pois é, existem centenas de milhões de neurônios no intestino e a maioria dos que liberam seratonina estão lá. Esses neurônios são ativados por um tipo raro e único de microorganismo unicelular que reforça a parede intestinal. A Seratonina é o neurotransmissor que atua na regulação do humor e portanto a relação direta entre microbiota e saúde mental.

Diversidade é Chave

Para garantir a diversidade da nossa flora intestinal é importante uma alimentação saudável e variada, que contenha Probióticos e Prebióticos. Probióticos são variedades de microorganismos benéficos que podemos ingerir diretamente. Eles funcionam como sementes de novas espécies. Já os Prebióticos são alimentos pra essa população de microorganismos. Os alimentos ricos em fibra são o prato preferido dessa turminha invisível.

Nenhuma novidade falar que verduras, legumes e frutas são os carro-chefe do grupo de fibras saudáveis. Se você quer fortalecer sua microbiota coma muita verdura! O verde deve ser a cor predominante no seu prato. Sempre que possível coma os legumes e as frutas com casca, todas as cascas são ricas em fibra. Faça um prato bem colorido, com todas as cores do arco-íris. Leguminosas como feijão, lentilha e grão de bico são excelentes fontes de proteína e fibra. Castanhas e sementes, além de super nutritivas também tem muita fibra. Todos esses são exelentes prebióticos, ou seja, alimentam os microorganismos benéficos.

Probióticos na Alimentação

Embora exista sim a possibilidade de suplementar probióticos é possível conseguir os mesmos resultados com uma alimentação variada. Exemplos de bom probióticos são alimentos fermentados ou produzidos através de fermentação. Iogurte, kefir, combucha, pão de fermentação natural (fermento biológico) e vegetais em conserva, tipo pickles e chucrute. Caso você opte por suplementar probiótico, certifique-se da procedência e data de fabricação. Probiótico só vai ter efeito se os microorganismos estiverem de fato vivos dentro das cápsulas. Como todo ser vivo, eles não sobrevivem sem alimento por muito tempo nem à qualquer temperatura.

Saúde Plena

É isso aí, essa máquina incrível que chamamos de corpo humano está toda conectada. Não é mais admissível compartimentar os sistemas para nenhum tipo de tratamento. Somos um ecosistema e como tal todas as partes estão intimamente relacionadas numa complexidade ainda não completamente compreensível. A forma mais simples de garantir que tudo funcione bem é cuidando do que colocamos pra dentro. Da qualidade da água que bebemos, do ar que respiramos, da comida que comemos, do que colocamos em contato com a nossa pele, dos sentimentos que colocamos no nosso coração.

Lembre-se: Bom é o que te faz bem!

Anna Karina.

Se quiser saber mais sobre Psiquiatria Nutricional, ou como a alimentação pode ser tratamento para doenças mentais leia no blog da Mamma Terra Saúde Mental.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Leia mais

Sobre Vida e Morte

No dia 20 de Novembro minha vózinha completou 105 anos. Ultimamente ela anda distante e cansada, o que me fez refletir sobre vida e morte.

read more